A Petrobras avalia que o preço do petróleo no mercado internacional recuou e voltou a ficar dentro das margens de volatilidade consideradas pela empresa. “O preço atingiu o topo, mas agora está caindo”, disse o diretor financeiro e de Relações com Investidores da Petrobras, José Sérgio Gabrielli de Azevedo.

A estatal considera como referência o preço do barril negociado no mercado de Londres, o brent, que foi negociado ontem abaixo dos US$ 40. Segundo ele, a estatal não trabalha com o petróleo WTI, cotado em Nova York, e que sofre “um efeito puramente especulativo”. A cotação do petróleo nos EUA chegou a ficar próxima dos US$ 50 na semana passada, mas também recuou.

Gabrielli voltou a dizer que alguns analistas do mercado financeiro realizam avaliações equivocadas sobre o impacto do aumento do petróleo sobre as receitas da estatal. Na avaliação de parte do mercado, a empresa está adiando um possível reajuste dos combustíveis no Brasil por motivos eleitorais. Ontem, o diretor da Petrobras rebateu essas acusações.

Investimentos

A Petrobras afirmou que a empresa deve captar US$ 16 bilhões no mercado internacional até 2010 para financiar os seus investimentos na ampliação da capacidade de produção, que deve crescer 7,7% ao ano neste período. A expectativa é que a empresa alcance a auto-suficiência em 2006.

Segundo Gabrielli, a nova refinaria da empresa deve entrar em operação apenas em 2011. No entanto, os investimentos da estatal no projeto serão feitos antes e devem somar US$ 1 bilhão.