Foto: Arquivo
Gasolina e diesel tiveram variação negativa em dezembro.

Os preços administrados e monitorados em Curitiba fecharam o ano de 2007 com uma variação de 0,90%. Só no mês de dezembro a variação atingiu um índice negativo de 0,15%. Esse foi o terceiro ano consecutivo que as tarifas ficaram abaixo da inflação – em 2007 o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) Brasil foi de 5,16% e o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) Brasil atingiu 4,46%. Os dados fazem parte da Pesquisa de Preços Administrados e Monitorados, divulgada ontem pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos, regional Paraná (Dieese), e Sindicato dos Engenheiros do Paraná (Senge).  

Na avaliação do economista do Dieese Cid Cordeiro, alguns fatores contribuíram para que esse índice ficasse abaixo da inflação. Entre eles, a desvalorização cambial que foi influenciada pelos preços agrícolas. Fatores políticos também pesaram nesse resultado, como a redução do subsídio cruzado da energia e o fim da cobrança do seguro apagão. ?Aqui no Paraná, por exemplo, há três anos não é reajustada a tarifa de água, e o governo não repassou todos os aumentos da energia?, comentou Cordeiro.

Nos meses de dezembro e novembro o diesel e gasolina foram os itens que apresentaram variações negativas. De acordo com o presidente do Senge, Ulisses Kaniak isso é explicado pela redução na margem de lucro bruta dos postos, que caiu de 17% em novembro para 15% em dezembro. ?No entanto, a variação de preços da gasolina não foi repassada integralmente ao consumidor. Enquanto as distribuidoras reduziram em 2,11% os preços, os postos repassaram 1,8% aos consumidores, e a diferença foi incorporada como margem de lucro?, falou Kaniak.

Tiveram variação significa ativa no mês de dezembro o álcool, com aumento de 6,72%, e o pedágio, com 4%. Mesmo assim, Curitiba ficou em nono lugar entre as cidades do Estado com o menor preço da gasolina, com média de R$ 2,44, e em quarto lugar entre as capitais, atrás apenas de Belo Horizonte (R$ 2,369), João Pessoa (R$ 2,377) e São Paulo (R$ 2,378). Já em relação ao álcool, Curitiba ficou atrás apenas de São Paulo, com um preço médio de R$ 1,524 o litro, contra R$ 1,291. Com estas variações, o custo médio dos serviços públicos para uma família curitibana ficou em R$ 486,81, o que eqüivale a 22,9% do orçamento, se levado em conta um salário de R$ 2.125.