O Índice de Preços ao Produtor (IPP) subiu 1,16% em novembro ante outubro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quarta-feira, 7. Foi o quarto mês consecutivo de aumento de preços e o maior resultado desde janeiro do ano passado, quando o IPP foi de 1,43%. O instituto revisou ainda o dado de outubro, de 0,67% para 0,66%.

O indicador acumula de alta 3,94% no ano até novembro de 2014. Em 12 meses, o aumento é de 4,56%. O IPP mede a evolução dos preços de produtos na “porta da fábrica”, sem impostos e fretes, de 23 setores da indústria de transformação.

Em novembro, os preços dos produtos na porta de fábrica aumentaram em 20 das 23 atividades da indústria de transformação que integram o IPP. As maiores variações ocorreram nas atividades de fumo (2,90%), papel e celulose (2,33%) e outros equipamentos de transporte (2,26%). Já o segmento de impressão registrou a maior queda, de 2,98%.

Em termos de influência sobre o resultado geral do IPP de novembro, os destaques foram alimentos (com contribuição de 0,29 ponto porcentual), refino de petróleo e produtos de álcool (0,20 ponto porcentual), veículos automotores (0,12 ponto porcentual) e metalurgia (0,11 ponto porcentual).