O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) na zona do euro – grupo dos 16 países que adotam o euro como moeda – caiu 0,3% em setembro, em termos anuais, pelo quarto mês seguido, refletindo contração nos preços dos transportes, custos residenciais e com alimentos, informou a Eurostat, agência de estatísticas da União Europeia. Em relação a agosto, o índice ficou estável. Em agosto, o CPI subiu 0,3% na comparação com o mês anterior e caiu 0,2% em base anual. Economistas esperavam alta de 0,1% do índice, em base mensal, e queda de 0,3% em termos anuais.

O núcleo do CPI, que exclui preços de energia, alimentos, bebidas alcoólicas e tabaco, caiu 0,2% em setembro em comparação a agosto e 1,2% ante setembro do ano passado. Excluindo tabaco, os preços ao consumidor ficaram estáveis em setembro em relação a agosto, mas caíram 0,5% em termos anuais.

Entre os 16 países que compõem a zona do euro, a desaceleração mais profunda de preços, em termos anuais, foi verificada na Irlanda, onde o CPI cedeu 3% em relação a setembro do ano passado. Portugal foi o segundo país a registrar forte pressão de baixa nos preços, com o CPI em queda de 1,8% em setembro, em termos anuais. Na contramão, Finlândia apresentou maior alta de preços, com o índice subindo 1,1% em termos anuais. As informações são da Dow Jones.