A queda nos preços dos produtos incluídos na minirreforma tributária do Estado pode ter chegado a 6,39%, informou ontem a Receita Estadual. O cálculo foi feito pela Secretaria da Fazenda com base em notas fiscais.

A reforma baixou de 18% para 12% o ICMS de cerca de 95 mil itens de consumo popular. A redução no preço final corresponde a R$ 5,1 milhões efetivamente repassados pelas empresas em favor do consumo das famílias.

O levantamento foi feito em 285 estabelecimentos, que pertencem a 41 empresas, localizadas em 78 municípios paranaenses. Do total de estabelecimentos analisados, 20,5% praticaram redução de alíquota, representando R$ 79,75 milhões. O total de vendas dos 285 estabelecimentos foi de R$ 388,6 milhões.

O Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) também realizou um levantamento sobre os efeitos da minirreforma. A conclusão é que cinco dos seis grupos que compõem a pesquisa apresentaram queda no acumulado de maio e abril em relação a março. O vestuário foi o único grupo a ter aumento.

No levantamento, houve queda nos seguintes grupos: Saúde e Cuidados Pessoais (-2,61%), Artigos de Residência (-2,61%), Alimentos e Bebidas (-1%), Despesas Pessoais (-0,39%) e Transporte e Comunicação (-0,04%). O grupo Vestuário teve alta de 6%.

Comparando-se as variações ocorridas entre os grupos que possuem itens inclusos na Lei do ICMS com os mesmos grupos do IPC, todos os grupos do ICMS apresentaram redução de preços, ao contrário do IPC, onde somente três grupos tiveram queda. Excetua-se o vestuário, onde o grupo do ICMS teve alta um pouco maior que o grupo do IPC.