O Parlamento da Grécia começa hoje a debater um voto de confiança para o governo do primeiro-ministro George Papandreou. Apesar da revolta de alguns legisladores de seu Partido Socialista (Pasok) contra o referendo sobre o segundo pacote internacional de resgate, o premiê deve sobreviver ao teste. A votação final deve ocorrer no fim da noite de sexta-feira.

Anthony Livanios, um analista político independente, disse que o voto de confiança deve ser aprovado, já que nenhum membro do Parlamento quer ser responsável por derrubar o governo em um momento tão difícil para a Grécia. “Quando o partido está realmente ameaçado, seus membros se unem. Nós temos visto isso se repetir nos últimos 30 anos”, comentou.

Na segunda-feira, Papandreou surpreendeu ao anunciar que seu governo pretende realizar um referendo no país sobre o segundo pacote internacional de resgate, modificado pela cúpula da União Europeia na semana passada. A ação foi vista como uma tentativa de ganhar apoio político e acalmar os protestos contra as medidas de austeridade propostas pelo governo.

Ontem, uma legisladora socialista deixou o partido e duas outras ameaçaram fazê-lo, em protesto contra o referendo. Mas poucas horas depois Papandreou conseguiu apoio unânime do gabinete de governo para a consulta pública. “Parece que Papandreou tem sete vidas”, comentou um alto membro do Pasok.

Apesar da expectativa de que o governo consiga a aprovação do voto de confiança, alguns analistas acreditam que o grande teste no Parlamento será o projeto do referendo. Segundo a Constituição grega, o governo precisa de maioria simples no Parlamento, que tem 300 cadeira, ou seja, 151 votos. O Pasok atualmente tem 152 legisladores, mas quatro já se mostraram contra o referendo. As informações são da Dow Jones.