O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, defendeu a decisão do governo de retirar de circulação as notas de maior valor, em uma mensagem de Ano Novo pouco usual.

Modi afirmou que a desmonetização, que tirou 86% das notas de circulação, foi um “ritual histórico de purificação” para limpar o sistema da corrupção e evasão fiscal.

“Isto terá um papel importante na mudança de direção da nossa nação”, afirmou em um discurso televisionado.

Em um anúncio que surpreendeu a nação, em 8 de novembro, Modi afirmou que o governo iria começar a retirar de circulação as notas de 500 e mil rupias, afirmando que a medida iria dar um basta no enorme volume de renda não taxada do país.

O prazo para a troca das notas encerrou na última sexta-feira. Além da retirada de circulação, o governo também limitou a quantidade de dinheiro que poderia ser retirada dos caixas eletrônicos até que a Casa da Moeda local possa imprimir novas notas de menor valor.

Desde o início da medida, bancos e caixas eletrônicos têm registrado filas enormes diariamente. Algumas agências pedem recarregamento de notas poucas horas após a abertura. Por causa da baixa renda geral da população e pouco acesso ao sistema bancário, a maioria dos indianos ainda recebe e gasta somente em dinheiro. Fonte: Associated Press.