A economia da Índia está passando por uma desaceleração temporária, e a falta de uma rápida ação “corretiva” do governo pode deixar o crescimento em torno de 5%, afirmou o primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, nesta quarta-feira.

“Eu não acredito que o nosso futuro é de um crescimento de 5%. Nós crescemos a uma média de cerca de 8% nos últimos 10 anos e podemos chegar lá de novo”, disse Singh em um discurso em uma conferência da indústria.

O progresso econômico está sendo dificultado pela corrupção, pelos atrasos na tomada de decisão e pelas restrições à formulação de políticas devido à pressão dos parceiros da coalizão, disse Singh, sem dar mais detalhes.

A economia indiana cresceu 4,5% entre outubro e dezembro ante o mesmo período do ano anterior. O governo projeta um crescimento de cerca de 5,0% para o ano fiscal encerrado em 31 de março – o mais fraco em uma década.

A inflação alta e amplos déficits fiscal e em conta corrente, assim como uma economia global enfraquecida, levaram à desaceleração.

Singh disse que o governo tomará todas as medidas possíveis para reduzir os déficits, incluindo mudar sua política de investimento estrangeiro direto para atrair entrada de investimentos.

O governo projeta um déficit em conta corrente de cerca de 5% do Produto Interno Bruto para o ano fiscal encerrado em 31 de março, em comparação com a proporção de 4,2% no ano fiscal anterior. O governo espera que o déficit diminua no ano que começou em 1º de abril. As informações são da Dow Jones.