A carga tributária elevada deixa caros os presentes do Dia das Crianças. Um videogame, por exemplo, embute 72,18% de impostos, conforme levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT).

Os consumidores que pretendem presentear as crianças com aparelho de MP3 ou Ipod, vão ter de desembolsar 49,45% do valor total do produto em tributos, revertidos aos cofres públicos. Os patins são presentes cuja carga tributária equivale a mais da metade do preço, com 52,78%.

A lista também inclui presentes mais simples, mas não menos importantes para as crianças, como bola de futebol, com carga tributária de 46,49%, a bicicleta, com 45,93% e o ursinho de pelúcia, com percentual de 29,92% destinado ao pagamento de tributos.

Para o professor da Faculdade de Educação Superior do Paraná (Fesp), Francisco Paludo, os brinquedos são produtos que recebem mais tributos por serem supérfluos. “Normalmente são destinadas alíquotas mais altas para os produtos mais desnecessários à população, os chamados supérfluos, e percentuais menores aos considerados mais essenciais, como os itens da cesta básica”, explica Paludo, professor de Direito Comercial e Tributário nos cursos de Administração e Direito.

Segundo o professor, uma estratégia que reduziria a carga tributária seria a reformulação da política econômica brasileira. “Sempre se fala em reforma tributária, mas é necessário que os governos federal, estaduais, distritais e municipais cortem custos, reduzam, por exemplo, o orçamento do congresso, assembléias e câmaras de vereadores. Nos últimos governos as incidênciais tributárias aumentaram ainda mais. Uma reforma política para redução de gastos do poder público seria uma alternativa importante para redução de tributos no país”, explica o professor.

De acordo com Paludo, os americanos possuem uma carga tributária que corresponde a 25,4% do Produto Interno Bruto (PIB), os chineses 20%, enquanto no Brasil a tributação varia de 35 a 40% do PIB.

Mais gastos

Mesmo com o peso dos impostos, os curitibanos pretendem gastar 52% a mais com o presente do Dia das Crianças neste ano, em relação ao que foi gasto no ano passado. Em 2010, a média da compra foi de R$ 100, enquanto que neste ano será de R$ 152, revela pesquisa ACP/Datacenso, divulgada nesta terça-feira (27).

Conforme a pesquisa, os artigos mais procurados serão os brinquedos (58%), roupas e acessórios (21%), eletrônicos (6%) e calçados (3%). A maioria dos consumidores (64%) afirmou que irá pagar a compra à vista, em dinheiro, seguido de parcelado no cartão de crédito (25%).

Segundo a sondagem, os comerciantes também estão otimistas e esperam um aumento de 11% nas vendas, comparado ao Dia das Crianças do ano passado. A confiança se dá principalmente pela chegada de novos produtos às vitrines e realização de promoções.

A pesquisa ouviu 200 consumidores e 100 comerciantes entre os dias 22 e 26 de setembro, e a média de erro é de 5%.