Citando a lenta recuperação da economia global, o presidente da China, Xi Jinping, apelou a líderes da Ásia e do Pacífico que alinhem seus planos de desenvolvimento e avancem no sentido de um acordo comercial defendido por Pequim.

O pacto defendido pela China, conhecido como Área de Livre Comércio da Ásia e do Pacífico (FTAAP, pela sigla em inglês), é importante para a integração econômica regional, afirmou Xi, durante reunião de cúpula anual da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC, na sigla em inglês), nas Filipinas.

“Com vários acertos de livre comércio regionais em andamento, vem surgindo preocupações sobre o potencial de fragmentação”, disse Xi. “Desta forma, precisamos acelerar a implementação da FTAAP e levar adiante a integração econômica regional.”

A China não foi incluída na Parceria Transpacífico, o acordo de livre comércio fechado por 12 países, incluindo Japão e EUA, em outubro. Representantes dos EUA e de outros signatários vêm promovendo o pacto durante encontros em Manila esta semana.

Xi enfatizou o papel fundamental da China na economia global, apesar de seu fraco ritmo de crescimento, dizendo que a trajetória de longo prazo está “inalterada”.

No terceiro trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB) chinês teve expansão anual de 6,9%, que ficou abaixo de 7% pela primeira vez desde 2009.

“A economia chinesa ainda está lidando com um complicado ambiente interno e externo, considerável pressão de baixa e dores temporárias advindas de reformas profundas”, afirmou Xi. “As oportunidades são inéditas e os desafios são inéditos.”

Apesar da desaceleração vista na China, o país ainda responde por 30% do crescimento econômico global, notou o presidente.

Xi também declarou que a China vai continuar avançando na proteção ao ambiente e intensificar a cooperação internacional na área, além de acelerar esforços para garantir acordos de livre comércio “de alto padrão”. Segundo ele, negociações para ampliar o acordo entre a China e a Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN, na sigla em inglês) estão quase concluídas, enquanto acertos com a Austrália e a Coreia do Sul devem entrar em vigor até o fim do ano.

Xi elogiou ainda iniciativas que envolvem mais de 60 países e organizações internacionais para apoiar a construção de infraestrutura ligando a China ao resto da Eurásia e da África por rotas terrestres e marítimas.

A China também trabalha com mais de 50 países para preparar o lançamento do Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura, liderado por Pequim e que deverá estar em operação até o fim do ano, acrescentou o presidente. Fonte: Dow Jones Newswires.