Brasília (ABr) – O Ministério da Previdência Social publicou ontem edital suspendendo o benefício de 65,3 mil aposentados e pensionistas, porque não atenderam a convocação do Censo Previdenciário de junho. Os nomes foram publicados em um grande jornal de cada estado e na página do ministério na internet. A lista de suspensão, que envolve benefícios de número com final 3, é a sétima divulgada. O Estado de São Paulo teve o maior número de benefícios suspensos: 14.964.

Para receber o benefício de outubro (que é pago nos primeiros cinco dias úteis de novembro), o beneficiário que teve o benefício suspenso precisa fazer o censo numa agência do banco pelo qual recebe o dinheiro, de preferência aquela em que costuma fazer isso. Nos grandes bancos, a quantia é liberada imediatamente. Em outros bancos, ela deve ser desbloqueada em, no máximo, 13 dias. O ministério alerta que todo o processo (censo e desbloqueio do benefício) é realizado na agência bancária. Não há necessidade de procurar uma unidade da Previdência.

Para atualizar os dados, o beneficiário deve apresentar Cadastro de Pessoa Física (CPF) e documento de identificação, que pode ser carteira de identidade, Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), passaporte, carteira de habilitação ou registro de conselho profissional. Recomenda-se ainda a apresentação de um comprovante de residência e o Número de Inscrição do Trabalhador (NIT).

De acordo com o ministério, os aposentados e pensionistas foram avisados da necessidade de atualizar os dados cadastrais desde março. Os avisos ocorreram toda vez que o benefício era sacado ou por meio de carta e edital.