O gerente executivo do pré-sal na Petrobras, José Formigli, afirmou hoje que o problema que provocou a parada do Teste de Longa Duração em Tupi na semana passada não deve prejudicar o cronograma da área. Segundo ele, está mantida para o quarto trimestre de 2010 a entrada em operação do projeto piloto de Tupi, com produção de 100 mil barris por dia.

O problema foi apresentado por parafusos na árvore de natal molhada (equipamento submarino de controle de fluxo de poços) e deve fazer com que as operações na área fiquem suspensas por um período entre três e quatro meses.

“O único prejuízo será o corte da produção. Nenhum cronograma posterior será alterado e mesmo as pesquisas que estaríamos fazendo com a realização de teste podemos retomá-las quando houver a substituição do equipamento”, disse Formigli, acrescentando que a Petrobras está agilizando ao máximo esta troca.

Segundo ele, a estatal já conseguiu alocar uma sonda para retirar a árvore de natal molhada do fundo do oceano. Um outro equipamento também já está sendo preparado para ser colocado no lugar. “Conversamos com o fornecedor e ele substituiu os parafusos deste equipamento também, para evitar qualquer eventual problema semelhante”, disse.

Ainda segundo Formigli, a Petrobras está tentando agora negociar uma segunda sonda para colocar o novo equipamento no local. Isso porque a sonda que vai fazer a retirada já estava contratada para outro serviço e não poderá efetuar a troca. Formigli realizou hoje palestra para um grupo de técnicos e especialistas do setor, a convite do Ibef no Rio.