O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) paranaense em 2001 atingiu R$ 14,66 bilhões. O resultado, que é 23% superior ao desempenho registrado no período anterior foi divulgado ontem pela Divisão de Estatísticas Básicas da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (DEB).

O VBP é um dos itens considerados pela Secretaria da Fazenda para calcular e distribuir o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O peso do VBP na formação do FPM, que começa a ser pago a cada mês de janeiro para os 399 municípios, é de 8%.

A Secretaria da Agricultura também divulgou a previsão para o desempenho do VBP na safra 2002. Segundo a coordenadora do DEB, Gilka Andretta, o índice deve atingir no período R$ 17,9 bilhões, com destaque para as culturas de verão. A previsão é de que o valor dessa produção atinja R$ 6,9 bilhões, R$ 4,1 bilhões para a soja e R$ 1,3 bilhão para o milho (R$ 1,5 bilhão para as demais culturas).

As grandes culturas, como soja e milho, já foram destaque em 2001 – o segmento respondeu por 45% do VPB, com R$ 6,6 bilhões. A soja representou 18,7% do índice (R$ 2,7 bilhões) e o milho, 12% (R$ 1,8 bilhão). A pecuária, que no período anterior teve o maior peso para a formação do índice, ficou em segundo lugar. O segmento foi responsável por 39,6% do VBP, com uma produção avaliada em R$ 5,8 bilhões.

Apesar de ter um peso de 5,5% no VBP do Estado, o segmento das hortaliças cresceu 40% e teve a maior variação registrada no ano agrícola. O valor da produção foi calculado em R$ 809 milhões, contra R$ 579 milhões no ano 2000.

Entre os municípios, Toledo ficou mais uma vez com o maior VBP R$ 418,9 milhões, equivalentes a 2,86% do total do índice. Em seguida vêm Cascavel, com R$ 277,2 milhões (1,89%); Castro, com R$ 252,4 milhões (1,72%); Guarapuava, com R$ 220,9 milhões (1,51%), e Londrina, R$ 168,6 milhões (1,15%). O menor VBP foi o de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, com R$ 696 mil (0,005% do índice).