O Valor Bruto da Produção (VBP) do Paraná deve ficar em R$ 22,5 bilhões neste ano. Esse resultado é menor do que o registrado em 2010, quando somou R$ 23,1 bilhões. Com a queda no VBP, o Estado cai para o terceiro lugar na comparação com as outras unidades da Federação. A estimativa para 2011 foi divulgada pelo Ministério da Agricultura na manhã desta terça-feira (15)

No ano passado, São Paulo estava na liderança, com R$ 30,6 bilhões. O Paraná aparecia na segunda colocação, seguido de Mato Grosso, com R$ 18,2 bilhões. Segundo a nova projeção do órgão, o estado que deve acumular o maior VBP será Mato Grosso, com R$ 31,6 bilhões, seguido por São Paulo, com R$ 31,2 bilhões.

O estudo, realizado em janeiro a partir das safras e preços de mercado das 20 principais lavouras do País, aponta que o valor estimado para o País, em 2011, é de R$ 184,2 bilhões, 4,6% maior que o registrado no ano passado, de R$ 176,1 bilhões. O resultado, se confirmado até o fim do ano, será recorde em 14 anos.

O VBP é calculado com base na produção e nos preços praticados no mercado das 20 maiores lavouras do Brasil. Para realizar o estudo, são utilizados dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Lavouras

Considerando o Valor Bruto da Produção Nacional, as lavouras com melhor desempenho são uva (53,9%), algodão (46%), feijão (34,4%), laranja (12%) e mandioca (11,8%). Terão também crescimento, mas em menor proporção o arroz, a banana, o café, o milho e a soja.

O VBP da uva deve alcançar R$ 4,3 bilhões; o do algodão, R$ 4,5 bilhões; o do feijão, R$ 7,8 bilhões; o da laranja, R$ 13 bilhões e o da mandioca, R$ 6,6 bilhões. A soja, produto com maior valor entre as lavouras analisadas, terá aumento de 6% e deve chegar a R$ 48 bilhões. O trigo (- 25,8%) e a cebola (- 62,5%), em contrapartida, terão queda no valor da produção