Foto: Agência Brasil

Jacinto Ferreira, presidente da Conab: Centro-Sul produz mais.

A produção nacional da cana-de-açúcar bateu recorde na safra 2005/2006, ao atingir 436,8 milhões de toneladas. A informação foi divulgada ontem pelo presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Jacinto Ferreira, e é resultado de seu primeiro levantamento sobre o produto. Na safra anterior, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) foram produzidos 415,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar no País. Com isso a safra neste ano foi 5,1% maior do que a anterior. A Conab atribui o crescimento à instalação de novas usinas para atender à crescente demanda por açúcar e álcool.

O dado consolidado de produção da safra 2005/2006, entretanto, representou uma queda de 3% em relação à previsão que havia sido feita pela Conab em maio passado, de que a produção chegaria a 450,2 milhões. Segundo a empresa, a queda deveu-se à estiagem nos estados do Nordeste, Paraná e Mato Grosso do Sul.

Dos 436,8 milhões de toneladas de cana-de-açúcar produzidas no País, 394,4 milhões de toneladas foram destinadas à indústria sucroalcooleira, das quais 216 milhões de toneladas para a produção de açúcar, gerando 26,7 milhões de toneladas de açúcar, e 178,4 milhões de toneladas de cana para a fabricação de álcool hidratado, anidro ou neutro, gerando a produção de 17 bilhões de litros do produto. Os outros 42,4 milhões de toneladas de cana foram destinados à fabricação de outros produtos como cachaça, rapadura e ração animal.

A área plantada de cana-de-açúcar subiu de 5,6 milhões de hectares na safra 2004/2005 para 5,9 milhões de hectares, na safra 2005/2006. O resultado representa aumento de 5,4%.

Ainda de acordo com a Conab, o Centro-Sul é responsável por 85,7% da produção no País, sendo o estado de São Paulo o maior produtor, com 265,5 milhões de toneladas, ou 60,8% da produção nacional, em uma área de 3,1 milhões de hectares. Já o Norte/Nordeste contribui com 14,3% da produção total.

Exportações

Ainda de acordo com a Conab, as exportações brasileiras de álcool etílico anidro totalizaram 2,1 bilhões de litros em 2005. Esse volume representa um crescimento de 10,5% em relação aos 1,9 bilhão de litros vendidos ao exterior em 2004. As vendas do produto ao exterior representaram um faturamento de US$ 756 milhões, com alta de 51,8% ante os US$ 498 milhões de 2004.

Já os embarques de açúcar totalizaram 17,5 milhões de toneladas em 2005. Esse volume supera em 11,4% as 15,7 milhões de toneladas exportadas no ano anterior. A receita com as exportações de açúcar somaram, em 2005, cerca de US$ 3,3 bilhões, montante 27% superior aos US$ 2,6 bilhões faturados em 2004.