A produção industrial na zona do euro (grupo dos 16 países que adotam o euro como moeda) registrou em maio o primeiro aumento mensal em nove meses, de 0,5%, segundo dados da agência de estatísticas Eurostat. A alta também foi a maior para um mês desde abril de 2008. Em relação a maio de 2008, a produção caiu 17%, a menor queda em base anual desde janeiro deste ano. Economistas esperavam alta de 1,4% no mês e declínio de 17,9% em base anual.

A Eurostat revisou os dados de abril para mostrar queda de 1,4% em relação a março e recuo de 20,5% na comparação com maio do ano passado. A estimativa original era de declínio de 1,9% no mês e de 21,6% em termos anuais.

O relatório mostrou ainda que três dos cinco subsetores registraram aumento na produção industrial em maio na comparação com abril. O maior aumento foi de 1,2% em bens de capital (máquinas e equipamentos). A produção de bens não duráveis subiu 0,8%, enquanto a de bens intermediários aumentou 0,3% no mesmo período.

A produção de bens de consumo duráveis caiu 2,9% em maio ante abril e a de energia recuou 0,2%. Nos países, a produção cresceu 3,7% na Alemanha em maio e aumentou 2,6% na França. Na Itália, a produção ficou estável. Na União Europeia como um todo (somando-se às nações da zona do euro os outros 11 países do bloco que não adotam o euro como moeda), a produção subiu 0,1% no mês e caiu 15,9% no ano. As informações são da Dow Jones.