A produção total de petróleo e gás natural no País caiu 6% em setembro na comparação com o mês anterior, de acordo com o boletim mensal da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP). Também houve queda na produção de petróleo no pré-sal de 1,8% na comparação mensal. De acordo com a agência, a queda de produção ocorreu em função de “paradas programadas de plataformas.”

Segundo os dados divulgados nesta terça-feira, 3, pela autarquia, a produção de petróleo em setembro somou 2,395 milhões de barris por dia. Foi o segundo volume mais baixo no ano, perdendo apenas para a produção de abril. Na comparação anual, entretanto, houve alta de 1,6% no volume produzido.

Já a produção de gás natural somou 97,4 milhões de metros cúbicos por dia, o que representou uma queda de 1,9% em relação a agosto. Na comparação com setembro de 2014, houve alta de 9,5%. Ao todo, a produção de óleo e gás somou 3,008 milhões de barris de óleo equivalente por dia, alta de 3%.

Do total, 92% de toda a produção no País é proveniente da Petrobras, responsável por 2,786 milhões de barris de óleo equivalente. A companhia já havia reportado uma queda de 6,7% em sua produção diária de setembro, na comparação com agosto, destacando a parada para manutenção da P-52, localizada no Campo de Roncador, na Bacia de Campos – o segundo maior produtor do País.

A produção exclusiva do pré-sal somou 1,029 milhão de barris de óleo equivalente, sendo 828,5 mil barris de petróleo por dia e 31,9 milhões de metros cúbicos diários de gás natural. Segundo a autarquia, houve queda de 1,8% em relação a agosto.

Apesar da queda no pré-sal, o campo de Lula, na Bacia de Santos, foi novamente o principal campo produtor do País. A área foi responsável por 349,1 mil barris de petróleo por dia – 44% de toda a produção. A unidade FPSO Cidade de Mangaratiba, no Campo de Lula, foi a principal produtora com 167,1 mil barris por dia com quatro poços conectados.

A Bacia de Santos, onde estão localizados as principais áreas do pré-sal, já responde por 27% de toda a produção no País. Já a Bacia de Campos, onde estão os campos maduros, representa 64% da produção. Os campos do pós-sal produziram, em setembro, uma marca de 1,979 milhão de barris.