O ministro das Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, disse hoje que o país enfrenta dois meses “decisivos” para implementar o programa de reformas, mas prometeu que o governo não retrocederá na agenda de reformas em face da oposição pública.

“Os próximos dois meses serão decisivos para a existência do país. São dois meses nos quais cada dia contará como um ano equivalente em esforço”, disse Venizelos, em discurso para empresários na cidade grega de Tessalonica.

“Nos próximos dois meses temos de mostrar que honramos nossos compromissos, avançando nas mudanças estruturais, executando o orçamento (para este ano), desenhando um orçamento crível para 2012 e progredindo nas privatizações”, afirmou.

Hoje, o primeiro ministro grego, George Papandreou, discursará sobre a urgência das medidas planejadas. A previsão é de que o discurso será recebido com protestos maciços. Mais de cinco mil policiais estão mobilizados para a ocasião.

“A mensagem clara que a Grécia pode enviar (aos credores) é que estamos completamente determinados, não estamos levando em conta custos políticos momentâneos e estamos respondendo completamente às promessas que fizemos”, acrescentou Venizelos.

“Quem quer que pense que a Grécia irá falhar ou não tem esperança está claramente fora da realidade.”

Venizelos também disse que a economia grega, agora no terceiro ano de recessão, terá retração de mais de 5% neste ano. Ele disse que os credores do setor privado estão respondendo “muito bem” ao programa de swap de títulos que deve ser encerrado ao final de outubro. As informações são da Dow Jones.