Rio (ABr) – Dados divulgados ontem pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), com base no Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis da agência, indicam que, em maio, a qualidade dos combustíveis comercializados no país atingiu o melhor índice desde 2001.

Segundo o levantamento, a não conformidade com os padrões nos casos do álcool e do diesel registrou seu melhor índice dos últimos seis anos, enquanto a não conformidade da gasolina em maio se manteve estável em comparação ao acumulado deste ano, embora tenha registrado o melhor índice dos últimos cinco anos.

De acordo com a ANP, o programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis chegou a analisar, em maio último, 6,6 mil amostras de gasolina nos postos de todo o País, outras 3,5 mil amostras de diesel e 5,8 mil de álcool.

Das amostras de gasolina analisadas, 261 foram consideradas fora do padrão, o que resulta em um índice de não conformidade de 3,9%. Das amostras de diesel, o índice de não conformidade foi de 3% (107), enquanto o índice de não conformidade do álcool ficou em 3,3% – 194 amostras.

De acordo com a ANP, os índices internacionais se situam entre 3 e 3,5%. Em 2001, o índice de não conformidade com os padrões de qualidade da gasolina no Brasil estava em 9,2%. No caso do álcool, 10,3% das amostras analisadas apresentavam irregularidades. Com relação ao diesel, o índice de não conformidade chegava a 6,5%.

Criado com o objetivo de fiscalizar a qualidade dos combustíveis e desenvolvido em parceria com as universidades brasileiras, o programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis da ANP foi recentemente estendido para todo o País, passando também a aferir a qualidade dos derivados do petróleo nos estados das regiões norte e nordeste.

Atualmente, segundo a ANP, 23 instituições fazem análises diárias de amostras de combustíveis para auxiliar a agência a traçar o mapa da qualidade dos combustíveis brasileiros e apontar as áreas sensíveis, como os municípios do interior paulista, orientando as ações de fiscalização da agência.