Brasília – A valorização do real foi a principal responsável pela queda de 0,67% na dívida pública federal em outubro, passando de R$ 1,316 trilhão para 1,307 trilhão. A informação consta do relatório mensal da dívida, divulgado nesta quarta-feira (21) pela Secretaria do Tesouro Nacional.

No mês passado, a dívida externa caiu 6,06%, encerrando outubro em R$ 108,1 bilhões. De acordo com o documento, o decréscimo ocorreu por causa da valorização do real diante das moedas estrangeiras que compõem a dívida externa. Houve também resgate líquido de R$ 2,8 bilhões em títulos brasileiros no exterior.

A dívida interna em títulos (Dívida Pública Mobiliária Federal Interna) ficou praticamente estável, com queda de 0,15%, passando de R$ 1,200 trilhão em setembro para R$ 1,199 trilhão em outubro. O relatório explica que houve resgate líquido, ou seja, o governo comprou de volta R$ 13,3 bilhões em títulos a mais do que lançou. O Tesouro Nacional, no entanto, pagou R$ 11,5 bilhões em juros, o que contribuiu para a estabilidade da dívida interna.