O número de reclamações contra operadoras de telefonia móvel aumentou 32% no primeiro trimestre de 2013 em relação ao mesmo período do ano passado no Estado de São Paulo. Pesquisa divulgada nesta terça-feira, 7, pela Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de SP mostra que o número de pessoas insatisfeitas com as operadoras passou de 2.704 nos três primeiros meses de 2012 para 3.570 só no início deste ano.

A TIM é líder absoluta do ranking, com uma variação de 96% no número de queixas. Apenas nos meses de janeiro, fevereiro e março de 2013, a empresa teve 1.202 registros de reclamações contra os 613 do último ano. A Oi está em segundo lugar, passando de 520 em 2012 para 863 clientes insatisfeitos neste ano – um aumento de 66%. A Vivo teve uma elevação de 8%, enquanto a Claro e a Nextel apresentaram queda.

Para o Procon, esse crescimento, que é superior ao aumento da base de clientes, demonstra claramente o processo de deterioração da qualidade dos serviços do setor. “Esta situação é decorrente da falta de investimentos adequados em infraestrutura por parte das operadoras, mais preocupadas com a oferta de novos planos”, disse Paulo Arthur Góes, diretor executivo da entidade.

Aparelhos

Também houve elevação de 14% na insatisfação com as fabricantes dos celulares, com 851 reclamações registradas contra as empresas no primeiro trimestre deste ano. Em 2012, foram 742. Samsung (69%) Motorola (16%) e Nokia (16%) são as companhias que lideram essa lista. Problemas de qualidade nos aparelhos, problema na entrega dos aparelhos e descumprimento do contrato são as principais queixas contra as fabricantes.