A Receita Federal fechou o armazém da empresa CBL/Interalli no Porto de Paranaguá, no início da da manhã de hoje. De acordo com o inspetor Jackson Corbari, chefe da Alfândega de Paranaguá, a Interallia era a única empresa, dentre as oito que operam no corredor de exportação do porto, que não havia se enquadrado nas exigências do Fisco.

Entre as exigências, os fiscais alfandegários encontraram a falta de câmeras de segurança, balanças integradas ao sistema de comando eletrônico, sistema informatizado de controle aduaneiro para leitura de placas de de caminhões e dos contêineres.

A CBL/Interalli tinha prazo até o último 31 para se enquadrar às exigências, mas não conseguiu implantá-las. Segundo o inspetor Jackson, o armazém ficará lacrado até que a empresa regularize sua situação. No entanto, será permitido embarcar a carga que está ali estocada, mas novos carregamentos não serão recebidos.