Brasília

– Cerca de 1,5 milhão de contribuintes tiveram sua declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2002 retida em malha fina, informou ontem a Secretaria da Receita Federal. Dessas, 597 mil têm direito à restituição, que será paga em lotes extraordinários a serem liberados a partir de janeiro. As demais ou têm saldo zero ou imposto a pagar. Neste ano, a Receita Federal recebeu 16,6 milhões de declarações. Perto de metade (8,070 milhões) foi processada em dezembro.

Por causa do grande volume de declarações processadas, criou-se a expectativa de que haveria um enorme lote de restituições em dezembro. No entanto, a maioria delas (7,2 milhões) teve saldo zero. Neste mês, apenas 712 mil contribuintes terão direito à restituição, que será paga a partir do dia 16. A listagem dos contribuintes incluídos no lote de dezembro pode ser consultada na página da Receita na internet (www.receita.fazenda.gov.br).

Com o lote de dezembro, a Receita informa que concluiu o processamento das declarações preenchidas corretamente. Quem não receber sua notificação até dezembro caiu na malha fina. A orientação da Receita, porém, é de que o contribuinte nessa situação aguarde. Muitas vezes, a declaração cai em malha por problemas simples, como erro no preenchimento de dados cadastrais ou porque os valores informados na declaração não conferem com aqueles fornecidos pela fonte pagadora. Os casos mais simples são resolvidos pelos próprios auditores, sem a necessidade de o contribuinte comparecer a uma delegacia da Receita.