O secretário do Tesouro do Reino Unido, George Osborne, anunciou nesta terça-feira planos de vender bilhões de libras em terras públicas. A decisão é tomada no momento em que números oficiais mostram que o déficit do país continua a diminuir.

Osborne lançou uma revisão de gastos deste ano no país, com o objetivo de detalhar de onde virão as 20 bilhões de libras (US$ 31,2 bilhões) em cortes planejados. Os órgãos do governo serão encarregados de especificar até 25 de novembro como irão contribuir para a meta do governo de vender pelo menos 150 mil residências do setor público até 2020.

O governo já vendeu terras com capacidade para abrigar 100 mil residências nos últimos cinco anos, informou o Tesouro, levantando mais de 1,7 bilhão de libras e economizando mais 800 milhões de libras em custos. Mas os contribuintes ainda detêm mais de 300 bilhões de libras em terras e edifícios – algo que Osborne pretende reduzir.

O setor público do Reino Unido emprestou 9,4 bilhões de libras em junho, segundo o Escritório Nacional de Estatísticas. O número exclui os empréstimos dos bancos estatais. Desde o início do ano fiscal em abril, os números de empréstimo têm sido positivos para Osborne, que tem como uma de suas metas principais o equilíbrio nas contas do governo. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o governo emprestou cerca de 800 milhões de libras a menos.

O Escritório para Responsabilidade Orçamentária, um monitor fiscal independente do Reino Unido, prevê que o Tesouro atinja um superávit em 2020. Fonte: Dow Jones Newswires.