Previdência, um dia você vai precisar dela. Esta afirmação faz parte de uma realidade à qual a maioria das pessoas está sujeita, afinal, após décadas de trabalho, nada mais justo e merecido do que ter o direito a se aposentar. E este também é o nome da nova coluna da Tribuna do Paraná, que a partir de hoje, todas as segundas-feiras, apresentará um conteúdo especial sobre finanças pessoais, educação financeira e previdência, seja ela social, do setor público ou privada. O conteúdo está disponível na página 2 do jornal impresso e no novo blog do site tribunapr.uol.com.br. Confira a coluna desta segunda-feira: “Reforma da Previdência: você decide!”

Quem trará estas informações e poderá tirar dúvidas dos leitores é o consultor em previdência Renato Follador, 62 anos, que atua há 30 na área. Engenheiro civil e administrador de empresas com MBA com ênfase em previdência social, Follador trabalhou como secretário estadual de Previdência durante o governo Jaime Lerner, foi responsável pela criação e implantação de fundos de pensão como o Paraná Previdência no setor público, e a Fibra-Itaipu Binacional e o Fundo Paraná de Previdência Multipatrocinada, no setor privado.

Também participou de importantes decisões nacionais sobre previdência e fundos de pensão, entre elas, a reforma nacional que criou o índice previdenciário. Foi diretor da Organização Ibero-Americana de Seguridade Social para o Brasil (OISS). Como professor, ministra cursos de graduação e pós-graduação em faculdades de todo o Brasil.

Conteúdo

“Vamos falar sobre educação financeira e previdência, para a população que não tem acesso a estas informações, que hoje, são primordiais, em tempos em que a Previdência Social caminha para a insolvência. E em um país com as maiores taxas de juros do mundo, falar sobre educação financeira é essencial. No Brasil nunca foi ensinado finanças pessoais ou educação previdenciária para as pessoas”, comenta.

Segundo ele, quanto mais informações as pessoas tiverem sobre estes assuntos, melhor para todos. “É inevitável ter que aprender sobre isto. Todos vamos envelhecer e em algum momento, também vamos estar em um dos dois lados do balcão: emprestando dinheiro para alguém ou tomando um empréstimo. É importante ter esta orientação, para que a pessoa possa fazer seu planejamento financeiro e se possível, consiga adquirir o passaporte para a felicidade: poder parar ou diminuir o ritmo de trabalho, quando estiver com seus 65 anos de idade, sem sofrer perda na renda familiar”, explica.

“Empurrão”

Colunista experiente, com atuação em rádio e televisão, ele conta que quem ofereceu a primeira oportunidade na mídia foi o jornalista Francisco Cunha Pereira Filho, empresário e um dos fundadores do jornal Gazeta do Povo. “Escrevi para ele quando voltei de Barcelona, após concluir meu MBA. Falei que estava por dentro das mudanças econômicas, como a implantação do euro, e fui convidado por ele para escrever um artigo mensal. Ele gostou e no segundo mês, pediu que enviasse um por semana. Ele me deu esse empurrão”, lembra.