Dos 75 mil a 80 mil automóveis que a Renault planeja vender este ano no Brasil, a montadora espera comercializar 20% pela Internet. A meta foi anunciada ontem pelos diretores da empresa, em São Paulo, no lançamento do novo site comercial da Renault do Brasil (www.renault.com.br). Depois dos bons resultados com o Clio Yahoo!, lançado em julho de 2001, a montadora anunciou que vai iniciar o comércio eletrônico do Kangoo e do Twingo entre setembro e outubro.
 
São Paulo – Em 2001, a venda de 3 mil Clio Yahoo! deixou a Renault como terceira montadora do Brasil em comércio eletrônico, com faturamento de R$ 21 milhões. No segundo semestre do ano passado, os negócios do Yahoo! representaram 26% da linha Clio. Em 2002, até maio, esse percentual já subiu para 35%.
Para esse ano, a expectativa da montadora é chegar a R$ 80 milhões somente com o canal de negócios eletrônico, correspondendo a pelo menos 15 mil veículos – sendo 10 mil Clio Yahoo!. A venda mensal média desse modelo gira em torno de 800 unidades. ?Com os outros modelos vendidos com auxílio do site, podemos dobrar esse volume de vendas?, calcula o vice-presidente comercial da Renault do Brasil, Dominique Maciet. ?Para nós, a Internet é um novo canal de vendas que permite promover nossos serviços e ajuda o cliente a escolher seu carro?, destaca. A ampliação da estratégia de e-commerce está ligada ao perfil dos clientes da montadora. ?Pesquisas internas mostram que a Renault concentra o maior número de internautas que já compram produtos online?, salienta o diretor de marketing da Renault do Brasil, Antônio Megale. 85% dos clientes da marca tem acesso à Internet e 25% consultam a Internet antes de ir à loja para comprar o carro. O Brasil é o quarto País a ter o novo site de negócios da Renault, lançado no ano passado na França, Alemanha e Inglaterra. Na próxima semana, ocorrerá o lançamento na Espanha.
Mais barato
Para os clientes, a principal vantagem da compra pela Internet é o preço 9% menor do que nas concessionárias. A redução é possível devido à eliminação do PIS/Cofins. ?É uma forma de entrarmos no segmento de R$ 15 mil a R$ 17 mil, onde não estávamos presentes?, assinala Maciet. A montadora pretende gerar ainda 2 mil oportunidades de negócios mensais através do site, almejando que 15% se convertam em vendas, informou o gerente de e-commerce da Renault Mercosul, Guillaume Latte.
Pelo site, é possível montar toda a configuração do carro, como cor, modelo e opcionais. O valor total já aparece na tela do computador. O portal permite ainda simular e pré-aprovar financiamentos, com resposta em até dois dias úteis. O site oferece ainda procura por seminovos na rede de 179 concessionárias Renault no País, além de cotação online.
O projeto do novo site, que tem 650 páginas e mais de 1000 fotos, foi desenvolvido durante seis meses por equipes do Brasil e França. O investimento foi de R$ 800 mil. A campanha de divulgação do site será feita apenas pela Internet.
Mesmo com a intenção de compra manifesta no site, o cliente precisa ir à loja para formalizar o processo de compra. O prazo de entrega varia conforme a região. O embarque é feito em 48 a 72 horas após o fechamento do negócio.

Montadora revê projeções

Em função do desaquecimento do mercado automobilístico brasileiro, a Renault reviu sua projeção de alcançar 10% de participação no setor até 2005 para 7%. No ano passado, a empresa ficou em quinto no ranking das montadoras brasileiras, com 4,8%. Para 2002, a expectativa é chegar a 5%. ?Ser o quarto lugar não é o objetivo principal. Nossa estratégia é subir no mercado passo a passo cada ano e fixar a imagem da marca no público brasileiro?, disse ontem o vice-presidente comercial da Renault do Brasil, Dominique Maciet.
Questionado sobre a redução da estimativa de participação no mercado até 2005 – de 10% para 7% – ele foi direto: ?Temos que ajustar o ritmo de crescimento à concorrência. Vemos nossos amigos concorrentes não deixarem entrarmos no mercado na velocidade que gostaríamos?. O recuo do mercado foi a explicação dele para as férias coletivas que serão concedidas de 24 de junho a 3 de julho aos 900 funcionários da fábrica de automóveis de passeio de São José dos Pinhais. As unidades de motores e utilitários continuam a produzir normalmente.
Embora reconheça que a produção foi desorganizada por causa do atraso na liberação de peças no Porto de Paranaguá, devido à paralisação dos auditores fiscais, enfatizou que ?o ajuste da produção ocorre em função do mercado?. A Renault está com 7 mil carros estocados na fábrica. Nas concessionárias, o estoque é suficiente para 30 a 35 dias. O normal é para 20 a 30 dias. (OP)