O novo superintendente da Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina), Eduardo Requião, disse ontem que a modernização e a ampliação do terminal, além da redução das tarifas, serão as prioridades do seu mandato. “O Porto de Paranaguá deve estar cada vez mais preparado para competir com os demais terminais do mundo. Por isso, vamos reduzir todas as tarifas portuárias, ampliar e modernizar o porto”, afirmou Eduardo, que assumiu o cargo ontem, junto com os novos diretores: Mário Lobo Filho (Administrativo e Financeiro), Ocival Francisco (Desenvolvimento Empresarial), Ogarito Borges Linhares (Técnico) e Juarez Moraes (Porto de Antonina).

O superintendente passou a tarde de ontem levantando informações sobre a situação do terminal. “Só assim saberemos, com precisão, como está o porto e o que devemos fazer”, explicou. Eduardo afirmou que vai discutir a expansão do Porto de Paranaguá com o novo ministro dos Transportes, Anderson Adauto. “Nós teremos uma reunião com ele em breve para discutir esse assunto”.

Ele disse ainda que, também com o objetivo de modernizar a gestão do porto, vai modificar o organograma do terminal. “A partir daí, daremos início à aplicação dos princípios estabelecidos pelo governo na administração do porto”. Outra meta do novo superintendente é valorizar os pequenos e médios exportadores por meio da criação de uma assessoria especial para estes empresários.

Exportação

Como assumiu o comando da Appa ontem, Eduardo preferiu não comentar a informação de que o Tribunal de Contas do Estado deve julgar, a partir de 14 de janeiro, o pedido de impugnação feito contra o ex-superintendente do terminal, Osires Stenghel Guimarães, que está sendo acusado de ter favorecido a madeireira Berneck Aglomerados com uma redução da taxa de armazenagem de contêiner de R$ 205 mil para R$ 8,8 mil.

Ele também garantiu que os paranaenses serão privilegiados na administração do porto. Sua intenção é aproveitar ao máximo moradores de Paranaguá no grupo, para valorizar a região. E assegurou que vai orientar sua administração, seguindo recomendação feita pelo próprio governador Roberto Requião, na defesa dos interesses do Paraná.

“Todas as dificuldades, todos os dragões da maldade que prejudicam os pequenos e médios exportadores do Paraná serão desmistificados pela superintendência”, assegurou. Formado em Filosofia (PUC/PR), Psicologia (UFRJ) e Psicanálise (Instituto de Medicina Psicológica do Rio de Janeiro), Eduardo Requião é empresário do setor de exportação e professor universitário. Ele foi secretário especial e secretário do Meio Ambiente no primeiro governo de Roberto Requião.