O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, reacendeu hoje (15) a polêmica sobre a proposta de revisão dos índices de produtividade agrícola e afirmou, durante o discurso de abertura da Feicana, em Araçatuba (SP), que o assunto “está superado”. A tentativa do governo federal de rever os parâmetros de produção para classificar uma propriedade agrícola como produtiva ou improdutiva gerou um embate, durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre os ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário.

Segundo Rossi, “querer exigir mais índice de produtividade é quebrar os que querem produzir”, disse. “O presidente Lula tinha compreensão disso e colocou uma pedra sobre esse assunto”, completou o ministro, sob aplausos de uma plateia formada na maioria por produtores rurais e empresários do setor sucroalcooleiro.

Ainda segundo o ministro, a tentativa de se ampliar os índices mínimos de produtividade determinados pelo Censo de 1975, obtidos em levantamentos feitos entre 1996 e 2007, “são questões técnicas para gerar agitação no campo”. Rossi afirmou que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) tem terras suficientes para assentar agricultores sem que haja a necessidade de desapropriação de áreas. “Se não tiver, pode comprá-las no mercado pelo mesmo preço que pagaria pela desapropriação”.

Indagado pela Agência Estado após o discurso se ele realmente acredita que o assunto estava superado dentro do governo, Rossi reafirmou que sim, mas emendou: “Suponho que isso não vai mais ser discutido”, concluiu.