O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que, pela primeira vez na história, o risco do Brasil é menor que o dos Estados Unidos. Em entrevista no Palácio do Planalto, Mantega disse que a notícia mostra “a solidez da economia brasileira e a confiança que temos do mercado”.

Mantega citou o risco medido pelo swap de default de crédito (CDS, na sigla em inglês), que representa o custo de proteção contra o não pagamento da dívida pública. Segundo ele, “quem tem medo do não cumprimento de pagamentos, faz um seguro”. Ontem, o CDS do Brasil recuou a 42 pontos base no prazo de um ano, ante o custo de 49 pontos base para proteção da dívida dos EUA em um prazo equivalente. Mantega disse que o governo está “muito feliz” com essa classificação sobre o custo para garantir proteção contra eventual calote da dívida brasileira.