O ritmo de crescimento dos gastos com investimento desacelerou no ano, segundo os dados divulgados hoje pelo Tesouro Nacional. Os pagamentos com investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) somaram, de janeiro a maio, R$ 7,121 bilhões, o que significa um aumento de 89% em relação ao mesmo período de 2009. De janeiro a abril, esses investimentos somavam R$ 5,379 bilhões, o que representava um aumento de 108% em relação ao primeiro quadrimestre do ano passado.

Os gastos com investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) podem ser abatidos da meta de superávit primário (economia do governo para o pagamento dos juros da dívida pública), que é de 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB). Os investimentos totais, de janeiro a maio, somaram R$ 16,691 bilhões, 80% a mais que os desembolsos realizados no mesmo período de 2009. Até abril, os pagamentos com investimentos somavam R$ 12,803 bilhões, o que representava um aumento de 89%, em relação ao primeiro quadrimestre de 2009.

Dos R$ 16,691 bilhões desembolsados este ano, somente R$ 4,066 bilhões são recursos do orçamento deste ano. Os demais R$ 12,625 bilhões são recursos de restos a pagar. As receitas do Tesouro Nacional em maio receberam um reforço de pagamento de dividendos no valor de R$ 1,760 bilhão. Em abril esses recursos que entraram para os cofres do Tesouro foram muito maiores de R$ 4,014 bilhões.