O embaixador brasileiro Roberto Azevêdo oficializou sua candidatura a um novo mandato de quatro anos como diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), a partir de 1º de setembro de 2017. Segundo nota do Ministério das Relações Exteriores, o embaixador teve papel de liderança nas negociações que permitiram concluir acordos “relevantes e substantivos” nas conferências ministeriais do organismo em Bali (2013) e Nairóbi (2015). “Estes foram os primeiros entendimentos multilaterais desde a conclusão da Rodada Uruguai em 1994”, cita a nota do Itamaraty.

O texto acrescenta que Azevêdo tem contribuído para o fortalecimento do sistema de comércio multilateral “em conjuntura internacional desafiadora”. Isso porque, no atual quadro de baixo crescimento econômico, tem crescido a adoção de medidas protecionistas. “O governo brasileiro entende que o embaixador Roberto Azevêdo reúne as melhores credenciais para continuar a prestar serviços relevantes ao sistema de comércio internacional”, diz a nota.

Na carta em que formaliza a candidatura, o embaixador faz um balanço de sua gestão, diz que os avanços pertencem a todos os membros e que resultados ocorreram a partir de um trabalho em conjunto realizado de forma transparente e pragmática. “Os próximos anos apresentarão mais oportunidades de fortalecer o sistema de comércio global em interesse de todos os membros, mas particularmente para os países em desenvolvimento e os menos desenvolvidos”, diz.