Produção de soja é o maior destaque.

Brasília – A primeira estimativa da produção brasileira para grãos, cereais e oleaginosas na safra 2003/2004 está variando entre 124,4 milhões e 127,7 milhões de toneladas. Houve um aumento entre 1,5% e 4,2% considerando a safra 2002/2003. O grande destaque da produção é a soja, que poderá atingir até 58 milhões de toneladas, um aumento percentual entre 7,8% e 11,5%, em comparação com as colheitas passadas.

Em seguida, vem o arroz, com expectativa de aumento da produção entre 10,1% e 13,2%, podendo chegar a 11,7 milhões de toneladas. Já o milho deve registrar redução de produção entre 7,9% e 5,9%, ou seja, de 3,8 milhões a 2,8 milhões de toneladas. Os números se baseiam em levantamento realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

De acordo com o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, as estimativas são conservadoras. “Estamos considerando condições médias de clima. Se houver uma melhora nas condições climáticas, as estimativas podem ser ainda melhores”.

A intenção de plantio também indica crescimento entre 3% e 5,4%, um adicional entre 1,3 milhão e 2,4 milhões de hectares plantados. As culturas de algodão, arroz, feijão 1.ª safra e soja apresentam crescimento. Mais uma vez o destaque é a soja, que teve a variação entre 8,5% e 12,2%. Já as previsões para o milho 1.ª safra e o feijão será de redução. O milho oscilará entre 5,5% e 3,1% e o feijão entre 1,1% a 0,6%.

Segundo o ministro, o crescimento da produção será menor que o de áreas plantadas. “Isso se explica pelo fato de as condições climáticas do ano passado terem sido muito favoráveis, o que ocasionou uma produção acima das médias normais”.

De acordo com ele, o abastecimento do mercado interno em relação ao arroz e ao feijão, alimentos muito importantes para o Brasil, está garantido. Para a soja, espera-se alta nas exportações, que renderão cerca de US$ 9 bilhões.

A produção de soja transgênica oscilará em torno de 13% a 14% da produção total (8 milhões de toneladas).