Lavoura de milho é uma das que vai crescer.

São Paulo

– A produção total de cereais, leguminosas e oleaginosas (caroço de algodão, amendoim, arroz, feijão, mamona, milho, soja, aveia, centeio, cevada, girassol, sorgo, trigo e triticale – híbrido de trigo com centeio) pode alcançar 116,298 milhões de toneladas, superando em 19,73% a produção obtida em 2002, que foi de 97,134 milhões de toneladas. Esta estimativa foi feita em com base nas informações coletadas em abril e ultrapassa em 2,36% a previsão baseada em dados de março, segundo informações divulgadas pelo IBGE.

Há previsão de crescimento da produção em todas as grandes regiões brasileiras. Na comparação com o ano anterior, as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, responsáveis, respectivamente, por 45,78%, 12,78% e 31,74% da produção nacional apresentam aumento de 23,81%, 4,91% e 17,78%. Na região Nordeste, que nesta safra responde por 7,41% do total, prevê-se aumento de 33,89% em relação ao ano passado. A região Norte, com participação de 2,29%, apresenta crescimento previsto em 21,89%.

Em relação ao milho da segunda safra, a expansão de 7,35% constatada em abril é oriunda dos estados da região Centro-Oeste: Mato Grosso do Sul (19%), Mato Grosso (16%) e Goiás (8%). Os preços vigentes no mercado do milho, tanto na primeira safra como nesta, vêm favorecendo o produto e, por isso, houve interesse dos produtores em plantá-lo neste ano.

A variação positiva observada na estimativa de produção de trigo (4,7%) decorre da informação do Paraná (6%) e Mato Grosso do Sul (80%), onde se esperam uma produção de 2,7 milhões de toneladas e 136 mil toneladas, respectivamente. Tanto os preços internos como a menor oferta do cereal justificam o aumento da produção de trigo para 2003.

As culturas plantadas na primeira safra encontram-se praticamente colhidas e apresentam níveis de produtividade superiores aos obtidos na safra precedente. Com o iminente encerramento da colheita da safra de verão, a ênfase do acompanhamento agora se volta para os produtos de segunda safra e da safra de inverno: milho, feijão, trigo, cevada, centeio, aveia, triticale e girassol.

No que concerne ao trigo, produto cultivado com maior relevância nos estados do Paraná e Rio Grande do Sul, que produzem, respectivamente, 65% e 27% do total brasileiro, aguarda-se para 2003 produção da ordem de 4,2 milhões de toneladas, 45% maior do que a safra obtida em 2002. Os cenários interno e externo sinalizam positivamente para o trigo no que diz respeito aos preços e à oferta mundial desse cereal. Na presente safra tritícola, o Paraná espera colher um volume de 2,7 milhões de toneladas, safra 84% maior que a obtida em 2002. Também a área plantada é significativamente superior à passada (11%). O plantio já se acha bem adiantado, aproximando-se do final.

O milho da segunda safra e o trigo são as duas grandes culturas em desenvolvimento nos campos nacionais no inverno. A estimativa de produção do milho segunda safra no país é da ordem de 9,4 milhões de toneladas, superior em 53% em relação à safra colhida no ano passado, de 6,2 milhões de toneladas. Excetuando-se os estados de Minas Gerais e Goiás, que não apresentam expansão do cultivo desse produto, nos demais estados a perspectiva do milho para 2003 é bastante positiva: Paraná (crescimento de 114%), Mato Grosso do Sul (120%) e Mato Grosso (16%).

As condições climáticas, que foram favoráveis às lavouras do primeiro ciclo, apresentam-se normais no período, com quantidade de chuvas suficiente para o bom desenvolvimento das lavouras, proporcionando condições adequadas também para as operações finais de colheita dos produtos de primeira safra.