O País registrou em 2016 um fluxo cambial negativo de US$ 4,252 bilhões, informou nesta quarta-feira, 4, o Banco Central. Em 2015, o resultado havia sido positivo em US$ 9,414 bilhões.

A retirada líquida de dólares pelo canal financeiro em 2016 foi de US$ 51,562 bilhões. Esse resultado é fruto de entradas no valor de US$ 448,386 bilhões e de envios no total de US$ 499,948 bilhões. Este segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

Já no comércio exterior, o saldo anual acumulado ficou positivo em US$ 47,309 bilhões, com importações de US$ 126,281 bilhões e exportações de US$ 173,590 bilhões. Nas exportações estão incluídos US$ 29,942 bilhões em Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC), US$ 53,758 bilhões em Pagamento Antecipado (PA) e

US$ 89,890 bilhões em outras entradas.

Dezembro

Depois de registrar entradas líquidas de US$ 3,811 bilhões em novembro, o fluxo cambial do País foi negativo em dezembro, em US$ 1,087 bilhão, informou o Banco Central.

A saída líquida de dólares pelo canal financeiro em dezembro foi de US$ 9,005 bilhões, resultado de entradas no valor de US$ 43,555 bilhões e de retiradas no total de US$ 52,561 bilhões. Este segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações. Nos meses de dezembro, é comum um fluxo negativo maior justamente na conta financeira, em função de remessas feitas por multinacionais para suas matrizes no exterior.

No comércio exterior, o saldo de dezembro ficou positivo em US$ 7,918 bilhões, com importações de US$ 11,757 bilhões e exportações de US$ 19,675 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 2,277 bilhões em ACC, US$ 10,520 bilhões em PA e US$ 6,879 bilhões em outras entradas.

Semana

Segundo o BC, o fluxo cambial da semana passada (de 26 a 30 de dezembro) ficou negativo em US$ 6,077 bilhões.

A retirada líquida de dólares pelo canal financeiro na semana passada foi de US$ 6,095 bilhões, resultado de entradas no valor de US$ 8,571 bilhões e de envios no total de US$ 14,666 bilhões. Este segmento reúne os investimentos estrangeiros diretos e em carteira, remessas de lucro e pagamento de juros, entre outras operações.

No comércio exterior, o saldo ficou positivo em US$ 18 milhões no período, com importações de US$ 2,433 bilhões e exportações de US$ 2,451 bilhões. Nas exportações, estão incluídos US$ 407 milhões em ACC, US$ 413 milhões em PA e US$ 1,631 bilhão em outras entradas.