O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Antonio Henrique Pinheiro Silveira, avaliou hoje que a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caminha para ficar mais próxima ao centro da meta prevista pelo governo (4,5%). “Com os índices recentes, em 2011 a inflação deve ficar entre 5% e 6%, bem próxima ao centro da meta, e não do teto de 6,5%”, afirmou o secretário à Agência Estado, durante evento sobre o mercado de etanol, realizado em São Paulo.

Segundo Silveira, o IPCA deve variar entre zero e 0,5% até o fim do ano, diante de um cenário de pouca pressão altista nos preços avaliados pelo índice. “O quadro é relativamente estável, até para as commodities (matéiras-primas)”, afirmou. Hoje, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o índice de maio, que ficou em 0,47%, ante alta de 0,77% em abril.

O secretário avaliou ainda que a pressão do etanol na inflação nos primeiros meses deste ano, com a disparada do preço do combustível na entressafra da cana-de-açúcar, foi revertida e a queda recente desses preços ajudou a baixar o IPCA. “O governo trabalha com o setor para garantir o abastecimento e incentivar a retomada do crescimento da produção para que isso não volte a ocorrer”, afirmou.