O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta sexta-feira (25) que a proposta de compra da mineradora anglo-suíça Xstrata pela Vale não foi discutida durante o jantar que ele teve ontem com o presidente da Vale, Roger Agnelli, na residência do empresário, no Rio. "Eu jamais confundiria um jantar com uma reunião de negócios", afirmou Lula. "Se Agnelli quisesse falar de negócios, marcaria uma audiência em meu gabinete.

Lula revelou que, até o momento, o governo não foi procurado pela Vale para tratar do assunto. Ele explicou que, assim que a empresa tiver uma proposta concreta, o governo se pronunciará sobre o negócio. O presidente participou hoje de almoço de aniversário do governador do Rio do Janeiro, Sérgio Cabral Filho no Palácio das Laranjeiras.

Segundo fontes, o governo tem resistido à crescente internacionalização da Vale. A empresa estaria tentando contornar a situação com o argumento de que outras empresas que têm influência do governo, como a Embraer e a Perdigão, também estão em expansão para o exterior e não encontraram resistência política. O governo exerce influência na Vale por meio da BNDESPar (braço de participações em empresas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e da Previ (fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil).