O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta terça-feira (6) que o governo ao apresentar ao PSDB sua proposta para prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), não incluiu a sugestão de desoneração da folha de pagamento das empresas via redução dos repasses ao Sistema S – parte da arrecadação de impostos destinada a entidades como Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Social do Comércio (Sesc), entre outras. Mantega disse que o governo quer fazer uma análise de como as entidades do Sistema S gastam os recursos arrecadados.

Segundo Mantega, a proposta não envolveu o Sistema S porque não havia tempo suficiente para fazer uma análise "criteriosa" do tema. O ministro deixou claro, no entanto, que o assunto continua em pauta no governo. "A desoneração não entrou, por enquanto, porque não é possível fazer isso neste tempo curto", afirmou o ministro em entrevista coletiva.