O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou nesta quarta-feira (2) que não teve nenhuma conversa sobre uma elevação informal da meta de superávit primário fiscal (economia para o pagamento de juros). "Não conversamos nada sobre isso. Não tive nenhuma conversa nesse sentido. O superávit primário que trabalhamos é o da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias)", disse o ministro. A LDO prevê superávit primário de 3,8% do Produto Interno Bruto (PIB).

Em relação aos cortes no Orçamento da União para 2008, que estão para ser anunciados pelo governo, Bernardo disse que ainda não está acertado que serão de R$ 20 bilhões. "Vamos definir com o presidente (Lula)", disse Bernardo, que não informou quando isso vai acontecer, porque depende da agenda do presidente. Bernardo deu as declarações em rápida entrevista à saída do Ministério do Planejamento, em Brasília.