O partido de Coalizão da Esquerda Radical ou Syriza, segundo partido mais votado nas eleições parlamentares deste domingo, buscará alianças com outros partidos de esquerda para formar um governo, disse o líder do partido, Alexis Tsipras. Em discurso na TV, Tsipras afirmou que manterá seu compromisso de anular o pacote de austeridade da Grécia.

“Os partidos que assinaram o memorando formam agora uma minoria. Suas assinaturas perderam legitimidade”, acrescentou. “As pessoas mostraram nas urnas que a salvação nacional não passa por tal memorando”.

Projeções oficiais mostraram que o Syriza ficou atrás dos conservadores do partido da Nova Democracia, recebendo 16,8% dos votos e 51 assentos no Parlamento. O Nova Democracia ficou em primeiro, com o apoio de apenas 18,9% dos eleitores, dando ao partido 108 assentos. O partido socialista Pasok recebeu apoio de 13,4% dos eleitores, para receber 41 assentos. O partido de extrema direita Amanhecer Dourado, que repudia imigrantes e quer a colocação de minas na fronteira da Grécia, teria recebido 7% dos votos e garantido 22 assentos no Parlamento.

Sem uma maioria explícita, um novo governo de coalizão deverá ser formado pelos três partidos mais votados hoje. Se não houver coalizão, novas eleições serão convocadas, o que deve causar desconforto no mercado financeiro. Atualmente, a Grécia é governada pela coalizão Pasok e Nova Democracia, partidos que alternaram o poder desde o fim do governo de ditadura em 1974. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.