A redução da pirataria de software nos próximos quatro anos no Brasil poderia gerar um mercado de Tecnologia da Informação mais forte, agregando até 2011 11,5 mil novos empregos, US$ 2,9 bilhões em receita para a indústria local e US$ 389 milhões adicionais em impostos, é o que indica pesquisa mundial da Business Software Alliance (BSA) e no Brasil apoiada pela Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES).

O estudo, conduzido pela International Data Corporation (IDC), mostra que o setor de TI é um dos principais na geração de empregos, impostos e crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). Em 2007, o Brasil investiu quase US$ 20 bilhões em tecnologia, incluindo computadores, equipamentos de rede, software e serviços, o que representa, aproximadamente, 1,8% do PIB. Este volume é suportado por mais de 22,5 mil empresas e seus 372 mil colaboradores, que auxiliaram a arrecadação de US$ 7,1 bilhões em impostos relacionados.

?Quando a nação toma medidas para reduzir a pirataria todos são beneficiados?, declara Frank Caramuru, diretor-geral da BSA no Brasil. ?Com melhores oportunidades de emprego, um ambiente de negócios seguro e contribuições econômicas importantes, a diminuição do índice de pirataria traz benefícios para todo o país?, completa o executivo. 

A pesquisa indica que para cada dólar investido em software original outros US$ 1,25 são direcionados para serviços, como instalação, treinamento e manutenção. A maior parte destes serviços é realizada por empresas locais, o que significa que os benefícios econômicos da redução da pirataria permanecem no país.

As associações encorajam os governos que buscam atrativos econômicos pela redução da pirataria de software a seguir alguns passos, como a atualização das leis nacionais de direito autoral implementando as obrigações estabelecidas pela World Intellectual Property Organization (WIPO); o desenvolvimento de fortes mecanismos de fiscalização; a disponibilização de recursos operacionais para o combate a prática ilegal, incluindo treinamento de oficiais, operações conjuntas, além de elevar os níveis de conscientização da população.

Um estudo divulgado pela ABES e BSA em maio de 2007 apontou a redução de quatro pontos percentuais na taxa de pirataria de software do Brasil, atualmente, em 60%. Foi a maior queda registrada em todo o mundo, mas por outro lado é a nação com os maiores prejuízos na América Latina, estimados em US$ 1,148 bilhão.