O número de pessoas que buscaram crédito aumentou 11,2% em maio na comparação com abril e cresceu 11,9% em relação ao mesmo mês de 2010, de acordo com o Indicador Serasa Experian da demanda do consumidor por crédito, divulgado hoje. No ano, a variação acumulada caiu de 12,4% até abril para 12,3% até maio, indicando, segundo a Serasa Experian, “que a procura do consumidor por crédito encontra-se em desaceleração, porém em ritmo bastante lento”.

O aumento da demanda por crédito no mês de maio pode ser atribuído ao maior número de dias úteis no mês passado na comparação com abril (22 dias contra 19 dias). Em relação à variação anual, a entidade diz, em nota, que “a lenta desaceleração da demanda do consumidor por crédito ainda deverá ocasionar elevações adicionais da taxa básica de juros (taxa Selic) por parte do Banco Central”.

De acordo com o indicador, os consumidores de menor poder aquisitivo (renda mensal de até R$ 500) lideram a procura por crédito no ano. Até maio, na comparação com o mesmo período de 2010, o aumento registrado entre estes consumidores foi de 37,1%. Na sequência, estão os consumidores que ganham entre R$ 5 mil e R$ 10 mil (alta de 18,8%). A menor variação positiva foi registrada entre os que ganham entre R$ 1 mil e R$ 2 mil (alta de 5,2%). Os consumidores de baixa renda também são os que mais demandaram crédito na comparação mensal: alta de 13,9% em maio ante abril, segundo a Serasa Experian.

Na análise por regiões, a Região Nordeste aparece com a maior alta na demanda do consumidor por crédito em maio em relação ao mês de abril: 13,3%, seguida pela região Sul, com alta de 12,8%, na mesma base de comparação. No acumulado do ano, o Nordeste também é líder, com aumento de 16,2% da demanda dos consumidores por crédito em relação ao mesmo período de 2010. No Norte houve crescimento de 12,5% na mesma base de comparação, seguido por Sudeste (11,8%), Centro-Oeste (11,1%) e Sul (10,6%).