Foto: Ciciro Back/O Estado

João Rezende e German Stefan: ampliando o quadro.

O Sercomtel (Serviço de Comunicações Telefônicas de Londrina) se desfez dos ativos operacionais da companhia de call center Ask!, em Curitiba. O negócio, de R$ 1,750 milhão, foi fechado com a Publicar do Brasil, que atua no segmento de listas e guias telefônicos e é detentora das marcas Editel e Listel no Brasil. De acordo com o presidente do Sercomtel e Ask!, João Rezende, o valor da venda será utilizado para quitar parte da dívida de R$ 6 milhões acumulada pela Ask!, que ainda mantém as unidades em Londrina e São Leopoldo (RS). Já para a Publicar, que faz parte do grupo Carvajal, com sede na Colômbia, a aquisição dos ativos representa a porta de entrada do grupo no segmento de call center.

?É uma oportunidade de crescer no Brasil. Entrar no mercado de call center era um projeto de expansão?, afirmou o presidente corporativo da Carvajal e da Publicar do Brasil, German Estefan. O grupo assumiu os ativos da Ask! no dia 1.º de fevereiro e uma das principais mudanças foi a denominação, que passou de Ask! para Contact Center Américas. Os 257 funcionários foram mantidos, e um dos objetivos, segundo Estefan, é aumentar o quadro, chegando a 500 até o final do ano. Para o ano que vem, a meta é chegar a 800 funcionários. ?O segmento de call center é um dos seis maiores empregadores do País. São cerca de 600 mil pessoas empregadas?, afirmou. O faturamento do setor no ano passado foi de R$ 3 bilhões e o crescimento foi de 40% nos últimos três anos.

Além dos funcionários, a carteira de clientes – formada por gigantes como a Esso, Furukawa, Ultragás, América Latina Logística (ALL), Kraft Foods e Aga – também foi transferida. A Ask!, quando ainda formada pelas unidades de Londrina, São Leopoldo (RS) e Curitiba, ocupava a 23.ª posição no ranking brasileiro. De acordo com German Estefan, a meta é fazer com que a Contact Center Américas esteja entre as vinte maiores nos próximos dois anos. ?Estamos investindo em tecnologia, treinamento de pessoal?, apontou. Entre os serviços oferecidos estão o de venda, pós-venda, cobrança, atendimento ao cliente e outros. Quanto ao faturamento, a idéia é passar dos R$ 6 milhões no ano passado para R$ 10 milhões este ano. O faturamento anual da Publicar é de R$ 600 milhões.

Problemas societários

Segundo o presidente do Sercomtel, João Rezende, a idéia é que daqui para frente o grupo se concentre cada vez mais na área de telefonia. Neste sentido, afirmou, o Sercomtel – que fechou 2005 com receita de R$ 300 milhões e lucro de R$ 2 milhões – está deixando de repassar recursos tanto para a Ask! como para as TVs a cabo, que fazem parte do grupo. ?Estamos iniciando parcerias, que já vêm sendo tratadas e devem ser consolidadas?, adiantou Rezende. Segundo ele, as TVs por assinatura, em geral, vêm passando por dificuldades. ?TV a cabo ainda não é um produto de massa; o limite é o rendimento da população, que é baixo. Quase nenhuma está tendo retorno financeiro?, afirmou. Segundo ele, os prejuízos acumulados pelas TVs a cabo no Sercomtel são próximos aos da Ask!

Quanto aos prejuízos acumulados pela Ask! – cerca de R$ 6 milhões -, Rezende atribuiu a problemas societários. ?A Ask! foi fundada em 99. Houve dificuldades dos sócios, sobressaltos. Além disso, não dá para uma empresa pública gestionar um call center?, apontou. Segundo ele, erros estratégicos cometidos pelas gestões anteriores também pesaram negativamente.