Ao contrário do que foi verificado no final do ano passado, quando a economia internacional atingia o ápice de uma de suas maiores crises, o setor da construção civil deve confirmar o crescimento apresentado desde o início do ano. Com isso, espera gerar uma média mensal de 1,2 mil vagas em Curitiba até dezembro.

De acordo com a Agência do Trabalhador de Curitiba, o reaquecimento da construção civil já vem refletindo na geração de novos postos desde o início do ano. Segundo a agência, ontem havia pelo menos 234 vagas para o setor.

Estão sendo oferecidas uma vaga para mestre de obras, com salário de R$1.340; 13 vagas para armador de ferros (R$ 913); 45 vagas de servente de obras (R$640); 108 vagas para pedreiro (R$ 913); 10 vagas para ajudante de eletricista (R$ 780); 47 vagas para carpinteiro (R$ 913); e 10 vagas para eletricista (R$ 913).

Novas vagas

O gerente da Agência do Trabalhador de Curitiba, Rafael dos Santos, afirma que, só na agência da capital, são cadastradas, em média, cerca de 600 vagas a cada mês.

Segundo dados do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Paraná (Sinduscon-PR), com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em janeiro deste ano foram geradas 1.052 vagas em Curitiba.

Em julho, este número subiu para 1.273 novos postos. A média mensal de 1.100 empregos criados em 2009 representa 24% do total de vagas formais geradas na capital.

De acordo com o consultor do Sinduscon-PR Marcos Kahtalian, o setor deve continuar crescendo até o final do ano. Mais informações podem ser obtidas na Agência do Trabalhador de Curitiba, na Rua Pedro Ivo, 750, ou pelo telefone (41) 3883-2200.