Os fabricantes de embalagens de papelão ondulado querem aproveitar a demanda aquecida para tentar emplacar aumentos de ao menos 20% no preço dos produtos. “Nossos preços estão absolutamente defasados, porque nossos custos aumentaram tremendamente”, argumenta o empresário Roberto Nicolau Jeha, dono da Indústria de Papel e Papelão São Roberto.

Segundo ele, o preço da apara de papel, principal matéria-prima do setor, mais que dobrou desde o início do ano. O preço da tonelada de aparas saltou de R$ 200 para R$ 450. Nesse mesmo período, o custo do papel subiu 40%. Essas matérias-primas representam cerca de 60% do custo de fabricação de embalagens de papelão ondulado.

O momento não poderia ser mais favorável aos interesses dos empresários do setor. Nos cinco primeiros meses de 2010, as vendas físicas de embalagens de papelão ondulado tiveram crescimento médio de 15% em relação a igual período do ano passado. Para o fechamento do ano, a expectativa do setor é de um crescimento da ordem de 10%.