Construção do Parque Jockey Shopping
será iniciada em fevereiro de 2003.

O grupo Sonae Enplanta (Sonae Imobiliária e Enplanta Engenharia) e o Jockey Club do Paraná, começam em fevereiro de 2003 a construção do Parque Jockey Shopping, localizado na área do Jockey Club, bairro Tarumã, em Curitiba. O investimento total previsto é de R$ 140 milhões, dos quais R$ 8,5 milhões serão gastos apenas em melhorias viárias para acesso ao empreendimento.

A partir da sua conclusão, em 2004, o Parque Jockey terá 75 mil metros de área bruta locável, com 280 lojas, das quais onze âncoras, entre elas o Hipermercado Big, que pertence ao mesmo grupo Sonae, Riachuelo, Zara e C&A, entre outras ainda em negociação. Cerca de 20% da área total do shopping será destinada ao lazer, tendo, além dos cinemas e cada de espetáculos, uma academia de ginástica e uma ampla praça de alimentação. Completam o projeto, reapresentado ontem em Curitiba, um auto-center, um boliche, uma agência de automóveis, duas lojas de eletroeletrônicos, um gourmet center com sete restaurantes, 29 operações de fast-food e 229 lojas satélites.

A localização – às margens da BR 116 que começa a se transformar em rodovia normal com o desvio do trânsito pesado para o contorno sul – é considerada privilegiada. “Não estamos construindo um shopping para atender uma região de Curitiba, e sim toda a região metropolitana e até alguns municípios de Santa Catarina, como Joinville”, disse o diretor da Sonae Enplanta, João Pessoa Jorge. Ele prevê que, depois de concluído, o Parque Shopping deve gerar cerca de quatro mil empregos diretos “e proporcionar ao Jockey Club um aumento de receita, com a atração de público para suas atividades”.

Os investimentos estão sendo feitos “do próprio bolso” da Sonae Enplanta, com o Jockey Club do Paraná entrando como sócio (10%) ao ceder o terreno. “Estamos abertos à investidores”, disse João Pessoa. Porém, a concretização do empreendimento não depende de novos sócios. “Temos R$ 700 milhões para investir no Brasil e os R$ 140 milhões previstos para o shopping de Curitiba estão incluídos neste valor”, acrescenta.

O Grupo Sonae tem, no Brasil, alguns “braços”. Um deles é o Sonae Distribuição -que administra os supermercados e hipermercados; outro é o Sonae Indústria, que controla a Masisa, em Piên, indústria de aglomerados de madeira e a Sonae Enplanta, no ramo de construção e administração de shoppings.

Em Portugal, sede do grupo, ele se estende ainda aos ramos de comunicações (possui um jornal), à telefonia celular, hotéis e academias, entre outros.