A Volkswagen deixou de produzir pelo menos 7.750 veículos entre a última quarta-feira e esta terça-feira, 17, nas fábricas de São Bernardo do Campo, no ABC, e Taubaté, no interior de São Paulo, por falta de bancos para a produção. Os números são dos sindicatos dos metalúrgicos do ABC paulista e de Taubaté e levam em conta a média diária de veículos produzidos em cada unidade. A parada deve impactar os números da produção de veículos, que acumulam queda de 22% no primeiro bimestre de 2015, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

O problema no abastecimento de bancos – o fornecedor estaria com dificuldades em adquirir matéria-prima, segundo os sindicatos – começou na quarta-feira e atingiu principalmente a fábrica de São Bernardo do Campo. Lá, 5.200 veículos modelos Gol, Saveiro e Polo teriam deixado de ser montados como consequência da paralisação total da produção nos três turnos entre quinta-feira e hoje, além da parada do primeiro turno na quarta-feira. A produção na unidade deve ser normalizada amanhã. Segundo o sindicato, diariamente são produzidos 1,1 mil carros na fábrica, sendo cerca de 300 unidades só no turno da manhã.

Em Taubaté, onde a Volks produz os modelos Up!, Voyage e Gol, a falta de bancos teria feito com que 2.550 unidades deixassem de ser produzidas. O número é resultado da paralisação total da produção na sexta-feira e ontem. Na quarta e na quinta-feira, a dispensa de funcionários atingiu apenas o turno da manhã. A produção já voltou a funcionar hoje. De acordo com o sindicato, por dia são produzidos em média 850 veículos na fábrica, sendo 425 em cada um dos dois turnos. Procurada, a Volks não se pronunciou sobre o assunto.