A situação dos trabalhadores avulsos do Porto de Paranaguá, que fazem uma operação padrão desde a semana passada, continua indefinida. Na noite da última sexta-feira, eles passaram três horas discutindo questões trabalhistas em uma audiência no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR), mas nada foi decidido. Uma nova audiência foi marcada para o dia 18 de abril.

A fila na BR-277, porém, terminou na madrugada sexta-feira. As operações no Porto de Paranaguá foram retomadas por funcionários do local que estão fazendo as atividades dos avulsos. Durante a audiência no TRT-PR, os operadores portuários apresentaram propostas aos avulsos referentes as férias, adicionais de risco, periculosidade, insalubridade e horas-extras. Já o Órgão de Gestor de Mão-de-Obra (Ogmo) não esteve presente na audiência, apesar de ter sido intimado pelo Ministério Público do Trabalho.

Amanhã, o sindicato patronal vai realizar uma assembléia para discutir as propostas. Os sindicatos das categorias de avulsos também devem realizar assembléias.