Brasil e Índia foram os únicos países a anunciar elevação dos juros em outubro, contrariando a tendência de manutenção da política monetária exibida dentro de um grupo de 24 bancos centrais monitorados pelo Itaú Unibanco e que se reuniram em outubro. O Banco Central (BC) do Brasil aumentou em outubro a taxa básica de juros, a Selic, em 0,5 ponto porcentual, para 9,5%, enquanto a Índia anunciou um aumento da taxa de recompra de 0,25 ponto porcentual, para 7,25%.

De acordo com o estudo do Itaú Unibanco, México, Chile e Hungria foram os únicos países do grupo avaliado que promoveram cortes da taxa de juros em outubro. O México reduziu a taxa de recompra de 3,75%, para 3,7%, o Chile cortou a taxa de desconto de 5% para 4,75% e a Hungria, de 3,6% para 3,4%.

Entre os países emergentes, China, África do Sul, Turquia, Rússia, Colômbia e Peru mantiveram a estratégia de política monetária inalterada em outubro, mostra o estudo. A China mantém a taxa de depósito no patamar de 6% desde junho de 2013, enquanto a taxa de juros da Turquia está em 4,5% desde maio. Na América Latina, o Peru mantém a taxa de referência inalterada em 4,25% desde outubro de 2012.