Eric Schmidt, o CEO do Google, ou o escritor Clive Thompsom da Wired? Entretenimento ou design? O country do australiano Keith Urban ou o folk da americana Suzanne Vega? Esses são alguns dos dilemas que os participantes do South by Southwest (SXSW) enfrentam quando tentam organizar a agenda e fazer escolhas entre as muitas atrações do festival.

Criado como um evento de música em 1987, o SXSW cresce a cada ano e hoje é um dos maiores festivais de criatividade do mundo. É imbatível no terreno musical, com a apresentação de 2 mil bandas em nove dias, e cada vez mais reflete o processo de convergência de conteúdo e tecnologia impulsionado pela internet.

As edições recentes incorporaram minieventos sobre games online e educação e é cada vez mais evidente que o SXSW deixou de ser um evento alternativo para se transformar em um local de encontro da indústria digital e de entretenimento. Pela primeira vez, a Apple realizará em 2014 um festival de música iTunes no SXSW. E o grande nome que subirá nos palcos de Austin é Lady Gaga, cuja apresentação será financiada pela marca Doritos.

Peso

O festival é um dos mais importantes do mundo para as startups, as empresas nascentes e inovadoras que habitam o mundo virtual e sonham em se transformar na nova febre da internet. A maioria morre na infância, mas as que sobrevivem têm um futuro promissor, que depende em grande parte de sua capacidade de transformar popularidade em dinheiro.

Foi na SXSW que o Twitter ganhou o mundo, em 2007. A empresa havia sido lançada nove meses antes do festival, mas ficou conhecida após pagar US$ 11 mil para ter seu produto exibido em monitores do Centro de Convenções de Austin.

A brasileira Vortio conseguiu ficar entre as 12 finalistas de uma competição de startups mundiais do SXSW, cujo resultado será conhecido nesta segunda-feira, 10. O prêmio para o vencedor não é dinheiro, mas aconselhamento de alguns dos mentores de tecnologia. Bráulio Medina, um dos fundadores da Vortio, disse que ficará feliz mesmo se perder. “A exposição é tremenda.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.