A Standard & Poor’s afirmou o rating de longo prazo BBB- e o rating de curto prazo A-3 da Espanha. A perspectiva para o rating de longo prazo permaneceu negativa.

Segundo a agência, o rating BBB- do país é sustentando pela “economia diversificada e próspera, e a implementação em curso pelo governo de uma agenda abrangente de um reforma financeira, fiscal e estrutural”. Por outro lado, o rating é limitado pela “a alta alavancagem externa na economia de Espanha, assim como as suas perspectivas de crescimento econômico relativamente baixas de médio prazo e inflexibilidades residuais, como o seu mercado de trabalho” que ainda está altamente segmentado.

A perspectiva negativa reflete a opinião da Standard & Poor’s de que pode rebaixar o rating do país caso o apoio político para a agenda de reforma em curso diminua. Segundo a agência, um exemplo desse processo refere-se a um possível enfraquecimento “da disposição do governo de implementar reformas adicionais” se o PIB contrair de forma mais acentuada do que a previsão atual, ou se o desemprego se agravar.

Além disso, a agência afirmou que outro fator para um possível rebaixamento é o fracasso do apoio da zona euro em conseguir gerar confiança suficiente dos investidores para manter os custos de empréstimo do governo espanhol em níveis sustentáveis e conter possíveis saídas de capital.

Se a dívida líquida do governo geral “exceder 100% do PIB, devido a desvios de metas fiscais do governo, enfraquecimento do crescimento, itens únicos de aumento de dívida (de passivos contingentes adicionais, por exemplo), ou caso os pagamentos de juros subam acima de 10% das receitas do governo geral”, a Standard & Poor’s também pode modificar o rating da Espanha.

Por outro lado, a agência disse que pode revisar a perspectiva do rating para estável se observar melhorias contínuas na posição externa da economia, assim como a retomada do crescimento, ou se as medidas de reforma orçamentárias e estruturais do governo, juntamente com o atual apoio da zona do euro, estabilizarem as métricas de crédito da Espanha. Fonte: Dow Jones Newswires.